terça-feira, 31 de março de 2009

O twitter

Oi pessoal,
Todo mundo ultimamente fala sobre o twitter, então me reservo no direito de emitir a minha opinião como usuário (leofilardi).
Sensacional!!!!
Ágil, simples, para uma comunicação eficaz, do tipo, aonde estou, faço o que, gosto do que, encontro pessoas que gostam do mesmo assunto, sou encontrado pelas coisas que escrevo, e que naturalmente atraem pessoas que também gostam, enfim, excelente, na definição técnica, "é um alto-falante de formas reduzidas".
O mais interessante que assim como tudo na internet, o twitter já existe há algum tempo, mas recentemente explodiu!!!.
Para quem curte, seguem alguns links interessantes:
- Professores do mundo no twitter: http://mashable.com/2009/02/16/twitter-professors/
- Mapeando o twitter no Brasil: http://tuitersfera.com.br/
Enfim, aproveitem.
Léo Filardi

terça-feira, 24 de março de 2009

Oi pessoal, recentemente Clemente Nobrega comentou em sua coluna na Época Negócios, como inovar de forma sistemática, é uma série de reportagens que irá culminar com um conceito que conversamos outro dia, Inovar é como um projeto, requer processos, ferramentas, sistemas que apóiem e dêem suporte às pessoas.
Vejam o vídeo abaixo onde ele fala mais sobre o tema.
video
Um abraço
Léo Filardi

sexta-feira, 6 de março de 2009

Oi pessoal,
Estou fazendo uns ajustes finais na aula de Business Project que irei ministrar em Juiz de Fora nesse fim-de-semana e me deparei com um exercício dobre criatividade interessante que encontrei no blog do Jairo Siqueira (http://criatividadeaplicada.com/).
Aí vai, ah e a solução coloco posteriormente.

Zeno tem de fazer a travessia de um rio, transportando três animais de cada vez, pois sua canoa só tem capacidade para levar Zeno e mais um animal. Os três animais são: um Kanti, um Shimu e um Calimoe.

Travessia







Infelizmente:

  • Se Zeno deixar sozinhos, de qualquer lado do rio, o Kanti e o Shimu, o Kanti comerá o Shimu.
  • Do mesmo modo, se deixar sozinhos o Shimu e o Calimoe, o Shimu comerá o Calimoe.

O problema: como atravessar os três animais para o outro lado do rio, assegurando que todos os três permaneçam vivos?

quinta-feira, 5 de março de 2009

Chilena Doggis já está com os dois pés no Brasil

Essa veio do Blog do Cherto e mostra que a crise tem dois lados, o lados dos que choram o e lados dos que vendem lenços.

A rede de fast food chilena Doggis, em associação com a rede Bob’s , abriu seu primeiro ponto de venda no Brasil. Foi esta loja temporária, que funcionou no Sambódromo do Rio durante o Carnaval:

Os ótimos hot-dogs da Doggis foram muito bem aceitos pelos cariocas e turistas que circularam pela Marquês de Sapucaí. Inclusive e especialmente um, a respeito do qual eu devo confessar que tinha lá minhas dúvidas: o hot-dog com molho de guacamole. Pessoalmente, gosto muito desse produto, mas não estava seguro de que os brasileiros o aprovariam. Pois aprovaram.

Logo mais começará a abertura de lojas permanentes Doggis, tanto próprias, como franqueadas, por todo o território brasileiro. Em paralelo, serão abertas lojas Bob’s no Chile.

A mais admirada de novo


Saiu hoje a lista das empresas mais admiradas dos Estados Unidos, divulgada anualmente pela revista Fortune.
A Apple ficou em primeiro lugar, de novo.
Apesar da doença misteriosa de Steve Jobs e do descontentamento dos acionistas a respeito da falta de transparência, os números da companhia são mesmo de admirar.
A empresa nunca vendeu tantos computadores, e o iPhone, que chegou a dezenas de países no ano passado, continua alguns anos à frente dos outros smartphones.
No ranking da Fortune, a Apple fica em primeiro lugar nos critérios inovação, qualidade de produtos/serviços e, curiosamente, gestão de pessoas (será que a notória falta de educação de Steve Jobs não entra nessa conta?).
Eis as outras nove líderes:
2.Berkshire Hathaway (o fundo de Warren Buffett)
3. Toyota
4. Google
5. Johnson & Johnson
6. Procter & Gamble
7. FedEx
8. Southwest Airlines
9. GE
10. Microsoft
O fato da Apple ser a mais admirada não me impressiona, estou lendo o livro sobre o Steve Job, e o cara sabe o que quer, faz isso de forma simples e objetiva, enquanto muitas empresas se perdem entre discussões infundadas. Enfim, é isso.
Você concorda com essa lista?  Opine.
Léo Filardi

Falando sobre criatividade

Seguindo a filosofia do Jaque, já que estou aqui, resolvi falar sobre criatividade, e em um blog que leio, o Lateral Action (http://lateralaction.com/), eles fizeram um levantamento das redes sociais onde você pode explorar a criatividade.

No artigo (que você lê clicando no título desse post) em todas as redes sociais o autor fez perguntas relacionadas ao tema criatividade, e como essa rede pode estimulá-la, concordando ou não, vale uma visita, e aí vai a lista:
- Facebook
- MySpace
- LinkedIn
- Twitter
- The Behance Network
- Shapeshifters
- Likemind
- DeviantART
- NING
Aproveite!!!

Léo Filardi

Napkin Ideas

Hoje tive uma reunião com o Clemente Nóbrega (www.clementenobrega.com.br) e falamos sobre alguns projetos e interesses em comum, e coincidentemente ele me mostrou um livro que acabou de comprar para ler chamado Back of the Napkin (http://www.thebackofthenapkin.com/).

A coincidência está no fato de que em Janeiro, quando fui a Belém ministrar uma aula sobre Business Project para o parceiro local do IBMEC-RJ, li um artigo na revista da TAM (é, aquela que a maioria ignora…..) sobre como as empresas estão buscando formas mais simples de comunicar a seus colaboradores suas estratégias, entre elas a Microsoft, a IBM entre outras, e o formato usado eram os “napkins”.

Para os empreendedores, inovadores e criativos isso é antigo, pois todos nós temos um bloquinho e uma caneta na cabeceira, sempre precisamos de “napkins” para explicar as nossas idéias, e aproveitando essa sacada uma empresa, a NapkinNotebook.com (http://www.napkinnotebook.com/) está vendendo os mesmos encadernados……enfim, em tempos de crise tem uns que choram enquanto outros vendem seus “napkins”.

Um abraço

Léo Filardi

TED 2009


.

..

Aqui vão alguns dos pontos mais altos da TED 2009….

Shai Agassi: propôs um modelo de carro 2.0, onde as pessoas pagariam pelo consumo de quilômetros e não pela posse de um carro. Ele propõe uma quebra de paradigma dos grandes, já que elimina o combustível fóssil da cadeia. Durante a TED a Toyota anunciou que está produzindo carros movidos a hidrogênio e o projeto já está sendo adotado em Israel, Austrália e Califórnia.

Jake Eberts: mostrou em primeira mão 8 minutos do filme Oceans, que produziu com Jacques Perrin. As cenas subaquáticas do filme são impressionantes. Ainda não estão disponíveis no site da TED ou YouTube, mas imagino que em breve estarão. O filme, um documentário, contou com a maior verba para produção de documentários da história dos documentários. 10 vezes maior do que o investimento no documentário “Uma Verdade Inconveniente” do Al Gore, o maior até então. Pela primeira vez, vamos ver imagens de câmeras que nadam junto com os peixes e não ficam fixas na mão de um mergulhador. O filme vai ser usado para a conscientização da precária condição dos oceanos, principalmente o Pacífico.

Dickson Despommier: mostrou a sua idéia de ‘vertical farming’. ‘Vertical Farming’ é o processo sustentável de se plantar os alimentos para todo mundo que mora nas cidades nas próprias cidades.

Willie Smits: ele conseguiu criar um modelo sustentável que une agricultura e reflorestamento, criando florestas reais, e que depois de três anos restauram a biodiversidade do lugar, aumenta o nível de chuvas daquela região ao mesmo tempo em que cria emprego, renda e preserva a cultura da população local.

Evan Williams: o cara que inventou o Blogger e o Twitter como projetos paralelos da sua vida, mostrou em sua palestra de apenas 3 minutos que as pessoas não devem querer controlar tudo. Defendeu o caos do processo criativo.

Jim Stoize: Jim passou um mês inteiro sem nenhum contato com internet e - na sua teoria - esse período fez dele uma pessoa menos feliz. Internet e felicidade têm tudo a ver e são inseparáveis.

Barry Schwartz: lembrou a todos que uma pessoa sábia sabe quando e como abrir uma exceção para qualquer regra, quando improvisar. Uma pessoa com sabedoria prática é construída ao longo da vida, ninguém nasce sabendo como tomar decisões. É alguém que aprende a partir da experiência da vida, alguém que tem permissão para improvisar, e ocasionalmente quebram a cara. Schwartz reforçou a importância de celebrar os heróis morais da nossa comunidade.Ele contou a história de Aaron Feuerstein da Malden Mills. Quando a sua fábrica foi totalmente queimada, ele manteve os três mil funcionários na folha de pagamento ao invés de demiti-los e contribuir para o colapso da comunidade.

Nicholas Negroponte: Depois de ter distribuído 500 mil notebooks para crianças pobres de todo o mundo, e ter alavancado a febre dos netbooks, Negroponte provou que a idéia de um notebook de 100 dólares é viável e necessário para mudar a vida das pessoas. As crianças estão ensinando os pais a ler e escrever. Os professores das escolas vêm à taxa de indisciplina cair por terra. A principal preocupação dos professores é ter que lidar com a grande quantidade de e-mails que recebem dos alunos.

Alex Tabbarok: ele é um otimista radical. Menos de 0,1% da população mundial é formada por cientistas e engenheiros. A grande maioria dessas pessoas vive nos EUA. Mas os EUA estão perdendo a liderança de idéias. E isso é uma coisa boa. É como se tivéssemos um supercomputador e bilhões dos nossos processadores estivessem off-line. Índia, China e África estão entrando on-line, e nós veremos o próximo Einstein vindo da África no próximo século. Nós precisamos investir em educação que aumenta o número de ofertas de novas idéias. Apesar da corrente crise, a coisa vai se reverter, e em 2100 a renda per capita será de 200 mil dólares em qualquer lugar do mundo.

David Merrill: ele mostrou os Siftables, computadores interativos do tamanho de um biscoito de chocolate que mostram vídeos e sons, e são sensíveis a aproximação e posicionamento. Esses serão os blocos que nossos netos terão para brincar. Segundo David, inspirado no jeito natural que o cérebro e o corpo trabalham. Esse será o futuro da interatividade.

E teve Bill Gates, que durante a sua palestra sobre o seu trabalho para combater a malária, soltou mosquitos da doença em cima da platéia do evento e completou ‘Por que somente os pobres devem conviver de perto com esses mosquitos?’.

Por Pedro Mello do Blog do Empreendedor do Portal Exame